30 maio 2006

Querendo ou Não



Somos os nós de uma teia infinita, não sou eu o primeiro a falar nisso. Impossível não ser tocado pelas ondas que circulam livremente pelo imenso espaço que muitos julgam vazio.

Cada encontro, pensamento, uma palavra que seja, um silêncio, reverbera nesse campo e produz transformações.

A mente limitada, só vai se dar conta das mudanças, quando o movimento já se tornou tão grande, que provoca vagalhões imensos, muitas vezes arrebentando tudo ao redor.

As grandes explosões começam com um fino rastilho, que serpenteia reluzente.

Você fez a diferença na minha vida e eu sou grato. Gratidão é uma palavra bonita de um sentimento bonito, que as almas leves reconhecem, não como dívida como preferem muitos, mas como completude interior.

Você me deu a maravilhosa chance de aceitar, de exercitar o olho através do coração, que enxerga a grande cena, me deu um presente.

Feliz então por encontrar uma das portas que eu procurava há tanto tempo. Sabendo que existia sem conseguir enxergá-la, me vi criando de novo, sentindo a inspiração retornar, sinalizando que o tampão se desprendera. E o que já foi medo de perder, tornou-se a certeza de encontrar.

Querendo ou não você pôs o dedo, sendo do seu jeito, sem disfarces e me ofereceu uma dimensão mais perfeita, dentro da minha própria busca.

Bom que você tenha esse dom, bom que eu estivesse de alma aberta para perceber.

Obrigado por saber ocupar seu espaço, ainda que por ventura você nunca tenha pensado nisso. Fato é que somos os nós de uma teia infinita. Impossível não ser tocado pelas ondas que circulam livremente pelo imenso espaço que muitos julgam vazio, restando dificuldade apenas naqueles que ainda permanecem fechados para percebê-lo. Querendo ou não você me deu esse presente e eu vou lembrar dele eternamente.

Nenhum comentário:

Frequências

jornal web Farol Comunitário

Pode acreditar

Tudo vale a pena se a alma não é pequena - Fernando Pessoa