04 setembro 2016

O cara-crachá das eleições

Em cada cidade deveríamos estar conversando sobre política, no sentido das verdadeiras necessidades dos cidadãos, sobre as liberdades, sobre a participação do estado, sobre a participação da sociedade (nós mesmos).

Não concordo com essa propaganda "cara-crachá" que rouba do cidadão a oportunidade de saber com quem está falando. 

Boas opções de pessoas dispostas a viver essas questões se perdem. As cidades são o ponto de sustentação das estruturas estaduais e na sequência as federais. 

Só nas cidades é que as pessoas podem falar diretamente das coisas mais próximas, dos problemas mais urgentes e da continuação daquilo que está bem encaminhado. Coisas que afetam de imediato as nossa vidas.

O país novo que muita gente deseja, será formado pelas cidades e pelos cidadãos.
E muita gente, digo por experiência própria, não faz a menor ideia do papel de uma Câmara Municipal, inclusive uma parcela preocupante dos candidatos. 

Por extensão nem desconfiam do poder que ela pode oferecer aos cidadãos.

Seja criterioso com seu voto, preste atenção nas pessoas em quem vai votar, não aceite dinheiro, nem favores obscuros, informe-se sobre promessas miraculosas.

Ou bem a gente começa a mudança ou nunca teremos a cidade que queremos e o país seguirá essa lambança que vem dos tempos do Cabral.

Frequências

jornal web Farol Comunitário

Pode acreditar

Tudo vale a pena se a alma não é pequena - Fernando Pessoa